Publicado em 12 de maio de 2022

IMPOSTO DE RENDA - Tabela do Imposto de Renda 2022: veja faixas, alíquotas e como calcular

Disponibilizada pela Receita Federal em fevereiro deste ano, a tabela do Imposto de Renda 2022 deve ser usada como parâmetro para entender quanto cada pessoa deve pagar para o fisco. 

Sua separação é feita por faixas de renda e, para entendê-la, é importante saber interpretá-la corretamente. Por isso, o UOL Economia explica a seguir passo a passo como decifrar e domar o leão do Imposto de Renda. 

 Em primeiro lugar, é preciso entender o que são as três informamações apresentadas na tabela divulgada pela Receita Federal: base de cálculo, alíquota e parcela a ser deduzida. Cada uma delas impacta, de maneira diferente, o valor a ser pago pelo contribuinte.

 Base de cálculo: São os rendimentos tributáveis do contribuinte. Isto é, são os valores recebidos como salários, aluguel, pensão, remuneração por trabalho, investimentos, bônus, etc. 

Alíquota: Trata-se da porcentagem cobrada em cima dos seus rendimentos. A alíquota do imposto de renda é progressiva, o que significa que quanto maior os seus rendimentos, maior a alíquota a ser paga. 

Parcela a deduzir: Valor que é subtraído do imposto relativo à renda. Assim como a alíquota, quanto maior for a sua renda, maior o valor a ser deduzido do imposto a ser pago. Conhecendo essas informações, é preciso entender qual faixa de rendimento mensal você se encaixa. Tabela do Imposto de Renda 2022 Base de cálculo (mensal) - Alíquota - Valor a deduzir do IR

Se você é um profissional com emprego registrado na carteira (CLT), a empresa é responsável por descontar o pagamento do imposto de renda mensalmente do seu salário e pagar ao governo. Isso é o chamado "imposto retido na fonte".

Caso você não seja registrado, ou tenha outras fontes de renda tributáveis, como aluguéis e pensões, você deve calcular quanto precisa pagar de imposto para a Receita Federal.

Você ainda pode ser considerado isento se sua renda mensal não ultrapassar R$ 1.903,98 ou se sua renda anual ficar abaixo de R$ 22.847,76. Acima disso, você precisará pagar imposto sobre a renda.

Como saber quanto eu devo pagar no Imposto de Renda 2022?

Depois de somar todos os seus rendimentos tributáveis (salário, pensão, bônus) que você recebeu mensalmente, verifique em qual faixa de renda você se encontra. Basta fazer o seguinte cálculo: (salário x percentual de alíquota) - valor a ser deduzido. Por exemplo, uma pessoa que recebe R$ 2.500,00, já descontado os valores do INSS, deve pagar R$ 44,70 por mês de imposto de renda. Veja a conta:

(2.500,00 x 7,5%) - R$ 142,80 = R$ 44,70

Isso significa que, em um ano, esta pessoa deve pagar um total de R$ 536,40 de imposto de renda à Receita Federal.

Lembra do imposto retido na fonte? Se o trabalhador tiver um valor superior a isso descontado em folha, ele receberá uma restituição do imposto de renda.

Agora, quem pagou menos ou quem não retém imposto na fonte, precisa pagar a diferença para o governo na hora da declaração.

Minha renda mensal é variável, o que devo fazer?

Se sua renda mensal variar muito, provavelmente será mais fácil calcular o imposto a ser pago somando os valores anualmente. Por exemplo, alguém que tenha recebido R$ 2.000,00 por seis meses e R$ 4.000,00 por outros seis meses, entra na faixa de 15% de alíquota. Isto porque a soma de seus rendimentos anuais chegam a R$ 36.000,00.

Base de cálculo (anual) - Alíquota - Valor a deduzir do IR

O cálculo segue o mesmo: (renda x percentual de alíquota) - valor a ser deduzido. No exemplo acima, a pessoa que tenha recebido R$ 36.000,00 já descontado valores pagos ao INSS, deve pagar R$ 1.142,43 ao governo federal. Veja o cálculo:

(36.000,00 x 15%) - R$ 4.257,57 = R$ 1.142,43

Aqui, a regra é a mesma. Se o contribuinte tiver pago mais imposto na fonte do que esse montante, ele receberá uma restituição. Se ele não pagou ou pagou menos, terá que desembolsar a diferença.

O que é alíquota efetiva?

Como cada renda tem uma alíquota e um valor a ser deduzido, pessoas na mesma faixa de renda têm cobranças percentuais diferentes. Isto é o que o governo chama de alíquota efetiva. Veja os exemplos a seguir:

Trabalhador 1: salário mensal de R$ 3.900,00

Trabalhador 2: salário mensal de R$ 4.600,00

Ambos contribuintes estão na mesma faixa salarial para o imposto de renda, com alíquota de 22,5% e dedução de R$ 636,13.

No entanto, o Trabalhador 1 tem que pagar R$ 241,37 de imposto de renda mensalmente, enquanto o Trabalhador 2 paga R$ 398,87. Isso significa que o primeiro contribuinte tem uma alíquota efetiva de 6,18% enquanto o segundo contribuinte paga 8,67% de imposto de renda.

Ou seja, quanto maior a sua renda, maior a alíquota efetiva e mais ela se aproxima da porcentagem cobrada pelo governo.

Fonte: Economia UOL


Voltar a listagem de notícias
Compartilhar